Para pensar: Dicionário fashion

Croqui de estilismo
Estilo - Por Isabel de Barros

Ao longo do curso de francês descobri o significado de várias palavras do vocabulário fashion. Alguns não tão glamorosos, outros interessantes. Pouca gente sabe, mas o matelassê (famoso na versão da bolsa Chanel 2.55) vem do termo francês matela, ou seja, colchão. Faz todo sentido, já que o acabamento é o mesmo, mas vamos combinar que não consigo mais pensar em usar a "moda do colchão". Um caminho etimológico em especial me chamou a atenção, o da palavra estilo. Usada na moda para definir tantas coisas, do modo de se vestir de determinada pessoa ao costume de um grupo, o termo é muito mais específico do que se pensa. Estilo vem do profissional estilista, em francês styliste, que nasceu de stylo, ou seja, caneta. É como se cada criação fosse puramente uma extensão do estilista. Cada traço do profissional no croqui é um pedaço dele. Confesso que a partir daí passei a reparar com mais atenção nas escolhas de ícones fashion. E concluo, mais uma vez, que a moda é muito mais do que apenas tendências passageiras.

Isabel Barros é editora executiva da revista Daslu e não usa salto alto

Fonte: Revista GOL número 111 junho de 2011

Dica: Ateliê de peles

Luiz Mori comanda uma das peleterias mais tradicionais de São Paulo
As peles - sintéticas, é claro - são as estrelas politicamente corretas da estação: elas estão nos casacos, blusas e coletes. Mas quem tem um casaco de pele verdadeira - daqueles que vão passando de avó para neta - e quer fazer reparos, reformas ou manutenção encontra em São Paulo um especialista no assunto: Luiz Mori. Ele se dedica há 38 anos ao ofício, aprendido com o pai no atelier da rua Barata Ribeiro, na Bela Vista (www.pelesluizmori.com.br). Depois que o pai morreu, em 95, Mori abriu seu próprio atelier na mesma rua, passando a atender as novas gerações de filhas e netas das primeiras clientes da peleteria, uma das mais tradicionais de São Paulo. Além da conservação, ele troca forros, repagina o modelo ou simplesmente coloca na medida certa.

Fonte: Revista 29Horas | de 29 de maio a 29 de junho de 2011

✈ Mala para viagem

Editoral de moda com a modelo Hana Soukupova
para a Revista Russa Tatler, Maio 2010
Essa imagem parece fazer parte do imaginário das mulheres. Se pudessem, levariam tudo que tem no guarda-roupa. Como não é possível, fazer as malas é sempre um drama. Se a viagem for internacional tudo fica mais difícil. Isso porque no seu destino a estação será a oposta: você está aqui no maior esquemão de calor, e lá está um frio congelante. Vice-versa. Parece que dá um nó na cabeça.

Por isso, nesse dia 26/06/2011, a repórter Carolina Samorano da Revista do Correio, publica uma entrevista com dicas da Alessandra Campanha para a organização da mala, tanto para o inverno quanto para o verão.

Confira as principais dicas:
OBJETIVIDADE É O SEGREDO
- Se possível abra sua mala e vá montando dias antes da viagem. Certamente você terá mais tempo para considerar o que realmente você irá usar. E lembre-se: Seu guarda-roupa nunca caberá dentro da mala. Portanto, desapegue da idéia de querer usar roupas totalmente diferentes a cada dia. Provavelmente suas novas aquisições do comércio local também farão parte do seu visual de viagem;
- Evite levar muitas peças com estampas. Roupas lisas facilitam a composição de diversos looks antes de você enjoar;
- Mochilão ou viagem de carro pedem ainda mais objetividade na bagagem.

MALA: FÉRIAS NO VERÃO
- Pense: onde você passará a maior parte do seu tempo?
Se for na areia invista em biquinis e saídas de praia
Se for no calçadão ou na balada, invista em roupas
- Saídas de praia são praticamente um curinga na mala. Por exemplo, se você for espichar direto da praia para um restaurante ou monumento histórico uma saída de praia pode substituir um look completo. Assim você carrega menos peso durante o dia, não precisa voltar para hotel para trocar de roupa e nem corre o risco de ficar restrita a ambientes que não permitam trajes de banhistas; 
- Shorts, saia longas e curtas e vestidos são a cara do litoral;
- Regatas, camisetas e batas fazem par perfeito com o calor;
- Um xale de crochê ou de tramas de algodão protegem da brisa da noite e caem super bem em vestidos e regatas à beira mar;
- Os acessórios devem ser totalmente casuais: madeira, pedras rústicas e conchas são os mais adequados;
- Sandálias rasteiras, sapatilha, espadrilha e chinelos em cor neutra combinam com quase tudo no verão. 3 sapatos (incluindo o chinelo) são mais do que suficientes.

MALA: FÉRIAS NO INVERNO
- Verifique as condições climáticas do seu destino. Poucos graus de diferença podem acabar pesando no seu orçamento de viagem;
- Luvas, cachecol e gorro além de ajudarem a proteger do frio também são charmosos e podem deixar o seu visual mais colorido e alegre;
- Prefira cores neutras para calças e casacos e invistas em estampas nas blusas e acessórios. Assim suas peças ficam mais versáteis;
- Entenda as funções: Couro faz barreira ao vento. Lã esquenta;
- Quanto menor o ponto do tricot, mais aquecida ficará;
- Meia-calça de lã ou cashemere são ótimas opções para aproveitar saias e vestidos em dias frios;
- Considere uma bota com e sem salto para se adaptar às diferentes situações de casual x formal;
- Tênis são muito confortáveis mas também arejados. Se for friorenta vai se incomodar com o ventinho frio que passa pela tela do revestimento tênis. Tenha em mente que ele foi projetado com esse objetivo.

Para ler a matéria completa compre o exemplar nas banca de jornais nesse Domingo ou aguarde a versão PDF por aqui. => NOTA: Decidimos não postar a versão online da matéria porque a jornalista usou partes do texto cedido para a entrevista como próprio não citando eticamente todos os devidos créditos à Alessandra.

Participe da enquete sobre organização de mala para viagem:

enquete

Criar minha enquete!

✈ Moda de aeroporto

Mesmo se você estiver em um clima suuuuper relax, não precisa abandonar o estilo ou sua imagem pessoal por conta da despreocupação, ok? Até porque passar horas, e não mais raramente passar dias no saguão do aeroporto, já são tema recorrente dos noticiários. É vulcão, neve e geada alguns dos motivos para o caos aéreo.

Ligada na realidade do mundo contemporâneo, a Vogue UK publicou esse editorial super bacana fotografado em um aeroporto. Confira:



In Transit - Vogue UK, Fevereiro 2011
Aqui mais algumas dicas para chegar no aeroporto e não fazer feio no saguão e nem na sala de espera.

➜ VERÃO

Lookbook Coleção Primavera 2011, Mango
- Nada de shortinhos micros. Bermudas são igualmente confortáveis e arejadas só que mais elegantes;
- Se quiser saia, prefira longuetes. As saias e vestidos longos não são recomendados porque podem se prender nos trajetos de escada rolante;
- Bata ou camisa de manga comprida, blazer ou casaquinho leve te protegem do ar condicionado e da falta de umidade da cabine de avião;
- Prefira sapatos fechados como sapatilhas ou espadrilhas. Elas irão te proteger das rodinhas de outras malas ou carrinhos desgovernados.

INVERNO

Lookbook Coleção Primavera 2011, Mango
- Cachecol, lenços ou uma pashimina são fáceis de levar na bolsa e caem super bem no friozinho;
- Se o inverno for rigoroso, não tem jeito. Leve seu casaco na mão para tê-lo à disposição logo que possível;
- Nunca use duas camadas de meia, elas prejudicam a sua circulação durante o voo. Lembre-se que você se manterá sentada por várias horas e com isso é normal o inchaço dos pés.

➜ VOO INTERNACIONAL
Lookbook Coleção Primavera 2011, Mango
- Primeiramente uma peça de roupa com vários bolsos. A quantidade de documentos exige manejo em vários momentos;
- Outro motivo que pede uma roupa pensada são as várias etapas de Segurança Aeroportuária Internacional: Raio X de bagagem de mão e também do passageiro - que precisa retirar peças até uma única camada de roupa - e ainda o sapato, são algumas das ocasiões que pedem praticidade e agilidade. Quanto menos itens soltos em sua mão menor a probalidade de perdê-los;
- Cinto e jaquetas com tachas ou detalhes em metal podem atrapalhar a sua vida. Evite-os;
- Óculos de sol será a sua melhor maquiagem depois de tantas horas;
- Sapato ou tênis confortável, calça, blusa e outra peça mais quente para te proteger do frio;
- Na necessarie da bolsa tenha sempre um álcool gel, um hidratante para as mãos embalagem mini além dos demais itens de higiene pessoal;
- Leve sempre uma muda de roupa na bagagem de mão. Por causa de extravio de bagagem já passei 3 dias com a mesma roupa no corpo. É péssimo!

Para pensar: Desapego na raça

Página da revista Vida Simples que trata sobre o desapego 

Aproveitando a época da troca de estações segue um texto para pensar na organização do seu guarda-roupa e da sua vida.

--------------------------------------------------------------------------------
Desapego na raça
Você acha que descartar objetos, situações e hábitos é fácil? Veja o que acontece com quem decide jogar 50 coisas fora em duas semanas

texto Liane Alves | fotos Claus Lehmann | design Kareen Sayuri

Olho com ternura para o meu chapéu de veludo verde. Ele já teve belas flores de camurça cor de ferrugem num dos lados das abas e, com certeza, dias de maior esplendor e glória quando o comprei numa sofisticada loja em Washington D.C. Naquele tempo eu tinha 22 anos e fazia minha primeira reportagem como enviada especial fora do Brasil. Foi quando o chapéu se converteu numa espécie de amuleto para mim. A primeira vez que o usei foi em Paris, e a estadia na capital francesa, onde fiz minha pós-graduação, se prolongou por mais dois anos. Depois, sempre com ele na mala, viajei para lugares tão exóticos quanto Hong Kong, sul da China, Indonésia ou o norte da Tailândia. Mais tarde, passei outra longa temporada em sua companhia aos pés dos Alpes italianos. O chapéu verde parecia atrair tantas viagens quanto o mel atrai abelhas. Se ele tivesse um passaporte, teria todas suas páginas carimbadinhas. 

Por despertar tão boas memórias, nunca me permiti jogá-lo fora. Com isso, ele se transformou numa espécie de coisa imortal. Roto, meio deformado, e com várias passagens pela máquina de lavar, rodava pela casa como um bichinho de estimação. Já tinha servido como decoração no meu quarto, ou adereço nos teatrinhos encenados pelas minhas filhas. Foi emprestado algumas vezes, e chegou a viajar para a Alemanha em outra cabeça. Quando deixou de ser visível na casa, continuou sua vida de chapéu itinerante dentro dos armários. Sempre o encontrava em algum canto ou, então, abraçadinho a uma grinalda no alto de uma prateleira. Se fosse um habitante do planeta dos chapéus, hoje ele poderia ser considerado um nobre ancião.

Aquilo que você guarda e o que joga fora, assim como o que compra ou deixa de comprar, é um espelho que reflete o que você sente e pensa

Por isso, agora o seguro em minhas mãos com o mesmo fervor com que Hamlet agarrava o crânio de seu pai e lançava questões como “ser ou não ser”. Em vez disso, minha pergunta diante do meu chapéu de veludo verde é: jogo ou não jogo fora? Faria essa mesma pergunta diante de dezenas de outros objetos que pretendia me desfazer ao me mudar de casa. Essa tarefa insólita fazia parte da proposta da VIDA SIMPLES: seguir à risca o livro Jogue Fora 50 Coisas, da americana Gail Blanke, e treinar na prática o desapego. 

“Nada mais fácil”, pensei. Faço isso em três horas, só de livros que não interessam mais devo ter mais de 50. Fiquei até com medo de não ter o que escrever. Afinal, com a simpatia que tenho pelo budismo, sabia que a vida é impermanente e que, por isso mesmo, não valia a pena se agarrar a objetos. Já tinha jogado milhares de coisas fora e acreditava que só o essencial tinha permanecido. Poucas coisas e boas era o meu lema. Quanto às questões internas, em relação a crenças e hábitos, pensava estar relativamente bem resolvida. 

Você conhece a expressão “ledo engano”, não é? Pois esse foi o mais ledo de todos os enganos em que já caí na vida. Jogar objetos fora era apenas a ponta do iceberg. O que isso envolvia e mobilizava internamente é que era o grande problema. Para começar, a moça do livro, que não é nem boba, não facilitava a contagem dos itens que deviam ir embora. Para ela, por exemplo, dezenas de livros contam como uma única coisa. Batons velhos, corretivos nunca usados e rímeis duros também são computados numa única categoria: maquiagem. E assim por diante: vários CDs só valem um, talheres, um, pratos, um, assim como lençóis, vasos, almofadas e, principalmente, sapatos. Tudo um. Quando constatei o artifício maroto, comecei a suspeitar que essa história ia ser um pouquinho mais complicada do que eu pensava.

Leia na íntegra a reportagem “Desapego na Raça” na edição 102 da VIDA SIMPLES.

Beleza luminosa

Na foto a modelo usa as sombras nas cores Illusoire e Epatant
finalizado com lápis na cor Khaki Platine (edição limitada).
Blush Rose Ecrin e nos lábios batom  hidratante Plumetis (edição limitada)
A Chanel lançou sua nova coleção de maquiagem Outono 2011. A aposta são sombras com efeito metalizado, acompanhando a mesma coloração no esmalte das unhas. Complementando tons de ameixa, cáqui e cobre para olhos e lábios, a coleção traz os tons bronze-cintilante, ouro e platina. 

A linha traz ainda o batom Rouge Coco Hidratante em tons de rosa, marrom e pêssego, além de uma sombra luminosa, que também pode ser usada como delineador. O produto vem em 6 tons que vão do preto intenso ao pêssego delicado.

Os produtos estão disponíveis no site da marca, em lojas próprias ou multimarcas a partir de julho deste ano nos Estados Unidos e na Europa.

Maxi saias: tendência inverno 2011

Passarela Outono-Inverno 2010,
Michael Kors
As saias longas, derivadas do estilo Hippie, sempre foram usadas na primavera-verão. Desde o branco, passando pelos tingimentos tye-die até as estampas florais, as saias esvoaçantes conquistam qualquer mulher que busca feminilidade. 

Apesar de já serem habitualmente usadas nas ruas em países frios, no inverno passado algumas marcas como Michael Kors, Marc Jacobs e Dries Van Note exploraram mais essa peça em suas passarelas - quando essa tendência se fortaleceu em 2010 -, mas só agora caiu nas graças das brasileiras. 

Nessa primvera-verão 2011 a loja de departamento inglesa Topshop lançou uma versão com tingimento que rapidamente esgotou-se nas prateleiras e ainda foi vista em fashionistas e registro de Street Style pelo mundo afora. O que isso quer dizer? Certamente a peça irá se manter presente pelas próximas estações. Compra  garantida, meninas!

As três primeiras opções abaixo mostram o uso na meia-estação. Para dias mais frios acrescente uma meia grossa ou legging + bota + manga comprida + colete ou casaco ou blazer.
No dia-a-dia
A saia foi sucesso de vendas e apareceu
em vários registros de Street Style (Uso nas Ruas)

A atriz Nathalia Dill para Revista Manequim 
Saia xadrez em editorial da Revista Manequim

Opção para uma composição
dentro de um estilo Grunge. Revista Estilo
Uso nas Ruas, New York. Site Sartorialist
Uso nas Ruas. Saia plissada
Uso nas Ruas. As três fotos abaixo são de Zana Roberts Rassi,
editora de moda da Revista Marie Claire
Uso nas Ruas. Zana, Paris Fashion Week, 2011.
Site Style Du Monde
Uso nas Ruas Zana, New York. Saia plissada.
Site Sartorialist


No escritório
Versão para o ambiente de trabalho com a modelo Anouk.
Editorial de moda da revista espanhola Telva, Outubro 2010
COMO USAR
➜ SETENTINHA
- Use com batinhas ou blusas com manga boca de sino;
- Para contrabalancear o volume da saia, use na parte de cima peças mais ajustadas;
- Cinto é uma ótima opção de marcar a cintura e conferir mais estilo ao visual;
- As saias ou blusas pedem estampas ou tingimentos artesanais;
- Acessórios dourados e bohêmios ficam super bem nesse visual;
- Sandálias plataforma ou Anabela para as baixinhas e rasteiras para as mais altas;
Esse tipo de composição é o que mais realça as curvas apesar da quantidade de tecido no look. E também é a versão mais atual deste estilo setentinha na meia-estação.

➜ GRUNGE
- Peças pesadas de tricot e lã ou cardigãs alongados são fundamentais. Eles trazem uma versão um pouco mais "grunge arrumadinho";
- Use saias pretas ou algum item desgastado;
- Misture com camisas xadrez e botas pesadas, como o coturno;

➜ ROCK
- Junte com jaqueta de couro, principalmente a Perfecto, e peças com tachas;
- Com a renda, o look fica mais Rock Glam...;

➜ EXECUTIVO
- Tweed e lã fria são ótimas opção de tecido. É elegante e aquece;
- Use com blazers e casacos acinturados;
- Troque as botas por scarpin e sapato tipo boneca.
Se ainda não tiver sua saia longa, não tem problema. Aproveite seu vestido longo. Faça sobreposições e garanta um novo look! Tá garantido: a saia longa e os maxi vestidos vão se manter na primavera-verão 2011/2012 
Vestido Franky, sucesso de mídia.
Coleção Primavera 2011, Mango
No Brasil, lojas em Ipanema (RJ),
Shopping Ibirapuera e Eldorado (SP) 

☞ Saias sem estampas alongam o visual e estreitam o quadril.☜

♡ Vestido de desejo III

Passarela Botterga Veneta,
Site Sartorialist
Esse vestido já havia me chamado a atenção na passarela. As cores fortes, em destaque o amarelo, deram ao vestido um ar bem moderno, feminino e chic!

Mas ontem, dia 05/05/2011, a atriz americana Emma Stone (23 anos) apareceu no tapete vermelho do MTV Movie Awards, inclusive com a mesma clutch (carteira de mão) do desfile Bottega Veneta. Ela foi eleita uma das celebridades mais bem vestidas da ocasião.

O bacana desse modelo é que ele cai bem tanto em mulheres maduras quanto em jovens adultas. A composição final, juntamente com o cabelo e maquiagem, distinguiu bastante as faixas etárias.
No evento, a atriz venceu a categoria
de melhor performance de comédia
com "A mentira", de 2010

♬ Música & Estilo ♪

Adele em imagem promocional
para seu novo CD 21
É o mais comum. Música tem tudo a ver com moda. E moda tem tudo a ver com música. Inseparáveis. Tenho várias cantoras prediletas, mas poucas tem o meu reconhecimento também no estilo de vestir, inclusive de palco. Essa é Adele, uma jovem cantora britânica nascida em 1988 que lançou sua carreira em 2008 mas só agora caiu no gosto dos americanos e certamente terá um caminho só de glória.

Seu estilo musical é assim: R&B, voz grave e melodias saudosistas. O estilo de vestir é assim: Retrô, pin-up, romântico e casual. 

Apesar de estar fora dos padrões estéticos corporais (somente agora - nessas fotos - ela perdeu alguns quilos) sua pele, cabelo, maquiagem e roupa não são ofuscado pelo plus size. Os cabelos sempre sedosos e impecáveis em um super penteado com belíssimas mechas caramelo, sua maquiagem com "olhos de gatinho" e seu guarda-roupa repleto de bom gosto completam a artista que ela é. Em qualquer apresentação de palco, gravação em studio, foto ou no dia-a-dia ela respeita quem é. 

Para a revista Rolling Stones do mês de Abril ela diz que não é cantora para os olhos, e sim para os ouvidos. Você concorda? Confira alguns registro do estilo dessa que também pode se tornar sua próxima cantora do coração.



Revista Q - Junho 2011. Leia a matéria
Fotos para a revista OUT Magazine, Junho/Julho 2011
Página da Teen Vogue - Maio de 2011
Revista OUT - Maio 2011. Leia a matéria
Revista Rolling Stone - Abril 2011. Leia a matéria
Revista Glamour, Reino Unido. Junho, 2011

Video Clip de seu mais recente sucesso: Rolling In The Deep, 21
Related Posts with Thumbnails